Dia nacional de combate ao bullying precisa ter a atenção da sua escola

O dia nacional de combate ao bullying é lembrado no dia 7 de abril e serve como um incentivo para todas as pessoas presentes na escola sejam elas alunos ou professores e coordenadores, para estarem cientes da prática.

O bullying nas escolas é muito mais comum do que conseguimos imaginar. Essa ação pode ser realizada entre colegas de sala ou entre alunos de turmas diferentes, sempre com o objetivo de incomodar e constranger a vítima.

Por isso, é de extrema importância que fique explícito a relevância da atenção ao dia nacional de combate ao bullying, buscando sanar essa prática dentro e fora do ambiente escolar e oferecer soluções corretas de como responder a isso.

Como o dia nacional de combate ao bullying pode ajudar o público alvo?

Como foi apresentado, o bullying é uma forma que os agressores têm de assustar a vítima e envergonhá-la, seja no meio de vários outros alunos ou quando esta se encontra sozinha, muito comum nas escolas brasileiras.

Nesse contexto, de acordo com a Diretora de Inovação Dra Ana Paula “a vítima está tão acostumada a sofrer com essa prática que não percebe que ela é errada e pode ser evitada ao acionar e conversar com uma pessoa responsável, a exemplo dos pais, responsáveis, professores, diretores, etc”.

Em outras ocasiões, a vítima até consegue compreender que o que está acontecendo com ela não é uma ação permitida, mas não fala para os responsáveis por medo de ter consequências mais graves relacionadas ao agressor no que tange o aumento da frequência dos ataques.

Por isso, é possível destacar ainda mais a relevância e o impacto que o dia nacional de combate ao bullying nas escolas pode ter para tentar sanar ou ao menos diminuir consideravelmente essa ação, tendo efeitos educativos e preventivos para evitar essa prática.

Como o bullying é praticado nas escolas?

Nos dias atuais, o assunto do bullying não pode ser deixado de lado quando falamos da importância do desenvolvimento pleno de uma criança e adolescente para se tornarem adultos conscientes e capazes de exercer os direitos e obrigações no meio social da esfera da vida civil.

Ao serem vítimas da prática do bullying, esses indivíduos tendem a criar barreiras emocionais e desenvolver traumas que podem se prolongar pelo resto da vida dos mesmos.

O bullying não é somente ações que envolvem ferimentos físicos, mas também estão muito relacionados com as ofensas verbais e insinuações falsas acerca da vítima escolhida pelo agressor.

Após dias, meses ou até mesmo anos sofrendo com esse tipo de ação, a pessoa se torna incapaz de confiar em desconhecidos, sempre deduzindo que eles podem vir a se tornar os próximos agressores.

Isso tem reflexo direto na maneira como esses jovens irão se projetar no mundo real e manter relações com outras pessoas, sejam estas no âmbito do trabalho, relacionamento, amizades, entre outros.

Assim, o dia nacional de combate ao bullying visa alertar essas crianças e adolescentes que eles podem estar sendo vítimas de uma ação não permitida, oferecendo soluções e caminhos confiáveis de como parar com a prática.

Como alertar as vítimas e os responsáveis pela educação?

Além de fazer um alerta geral para os jovens que podem estar passando por isso, é essencial informar que os chamados “telespectadores” também carregam uma responsabilidade para ajudar quem está sofrendo.

Assim, quem observa o bullying acontecer e ignora por medo de se tornar a próxima vítima ou até mesmo por achar que não é problema seu, colabora com o agressor, fazendo com que essas práticas se tornem cada vez mais constantes, uma vez que ninguém o impede de fazer tal ação.

Por isso, é de extrema importância que as instituições de ensino e os pais e responsáveis se juntem em uma colaboração e parceria para conseguir educar os filhos e alunos para não praticarem o bullying, ensinando que essa prática fere os outros e pode gerar graves consequências emocionais para a vítima.

Diante disso, faz – se necessário o investimento em palestras que possam aumentar o conhecimento acerca do assunto, informando quais as medidas precisam ser tomadas em situações de incidentes escolares, como o bullying pode afetar as crianças e adolescentes, entre outros aspectos.

Exemplo dessa palestra é a https://classnet.tech/palestras-sobre-cyber-bullying/ , idealizada pela Dra. Ana Paula Siqueira, especialista qualificada no aspectos do bullying e todas as suas possíveis ramificações, ajudando no processo de entendimento do dia nacional do combate ao bullying.

Dra. Ana Paula Siqueira

A Dra. Ana Paula Siqueira, é especialista em direito digital e Diretora de Inovação da Class Net Treinamentos e Educação Digital. Ela é graduada em Direito e pós-graduada em Direito Empresarial pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestre e Doutoranda pela PUC/SP.

A autora do livro “Comentários à Lei do Bullying 13.185/15”, vencedora do Prêmio Lumen 2018 de Responsabilidade Social com o seu programa “Proteja-se dos prejuízos do Cyberbullying” e Prêmio Selo De Referência Nacional 2019 – ANEC.

Entre em contato

Todos os cursos e palestras da ClassNet fornecem aos participantes certificado apto a comprovar o cumprimento da Lei do Bullying, nº 13.185/15, e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, nº 9394/96 artigo 12, incisos IX e X.

Para ter o Programa de Combate ao Bullying com muita interação lúdica sobre bullying na sua escola clique aqui para entrar em contato ou envie mensagens no WhatsApp 11-94828-2711

Se preferir pode ligar para: (11) 3876-0361 ou mandar um e-mail para: contato@classtech.tech

Siga-nos nas redes sociais

Facebook

LinkedIn

Instagram

YouTube

Compartilhe